Conheça o Livro Raízes e Asas

Conheça o Livro Raízes e Asas
Clique na imagem acima para visitar o blog de Raízes e Asas

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

O Homem e o Lago

by Ronaldo Souza







Hoje eu passei pelo jardim da cidade. Sempre que vou por ali, faço o caminho mais longo, porque gosto de caminhar próximo às grandes árvores.
Então vi o pequeno lago e o homem que o contemplava. Ambos imóveis. Silenciosos. Unidos em seu isolamento.
Posso dizer o que a imagem daquele homem parecia gritar: ali estava alguém ainda capaz de parar para contemplar um lago. Em plena semana. No meio da correria do dia-a-dia. Quando todos passavam tão apressadamente.
Ele estava lá, impassível. Contemplava o lago. Enxergava o vazio. Buscava a si mesmo.
Interrompi meus passos. Saí do fluxo dos que iam e tornei-me par com aquele que contemplava. Prestei atenção.
Lá estava o homem. O lago. E a incógnita da existência. O vazio, a solidão e a plenitude do contemplar.
Vestia-se de forma simples. Cabelos emaranhados, já grisalhos. Pele queimada de sol. Era pura tristeza e melancolia. O que o atirara à margem do rio da vida, entretanto, só ele poderia dizer.
Mas eu podia ler de longe sua história, em seus pés vincados e inchados, em suas roupas surradas, em seu silêncio vazio.
Seus cabelos balançavam ao vento. Mesmo de longe as rugas evidenciavam, senão sua idade, os percalços por que trilhara. Era um senhor. Mas, como todos nós, apenas uma criança crescida.
Seus olhos estavam fixos no lago. O quanto não teriam já visto aqueles olhos, o quanto não teriam para contar...
Eu os contemplava. Ao homem e ao lago. À sua inércia e ao seu abandono.
Aproximei-me. Olhei em seus olhos. E em seus olhos, havia o lago.
Olhei o lago. O lago também o contemplava.
Percebi a mim mesmo. Eu os contemplava.
Enxerguei meu caminho, minha vida, meu vazio.
Olhei para cima. E passei a contemplar o céu. E minha alma e meu coração se encheram de paz. Assim fiquei por longos momentos. Ao olhar para o lado, percebi que o homem já não contemplava mais o lago. Também passara a contemplar o céu.
Resolvi seguir meu caminho.
Após mim, ouvi seus passos.
Ele também voltara a caminhar.

Um comentário:

  1. Bela mensagem numa história muitíssimo bem narrada. Demais!

    ResponderExcluir